Ateu, artista judeu se converte ao Evangelho após ler a Bíblia e reconhecer o Messias em Jesus

“A oração feita por um justo pode muito em seus efeitos”. Essa verdade bíblica, presente em Tiago 5:16, não é sinônimo de resposta de oração conforme o desejo de quem pede, segundo o evangelista Billy Graham.

Graham, 98 anos, se dedica a escrever artigos em resposta a perguntas enviadas a ele através do site da Associação Evangelística que leva seu nome. E recentemente, um leitor o escreveu dizendo que fica “chateado quando Deus não responde às orações do jeito que eu penso que Ele deveria fazer”, e acrescentou: “Ele está me punindo por algo que eu fiz, quando se recusa a responder às minhas orações?”.

A experiência de Billy Graham, ministro do Evangelho há decadas, fica evidente na resposta, que sugere ao leitor um olhar mais abrangente da situação, observando que servimos a Deus pelo que Ele é, e não por aquilo que pode fazer.

“Se nos recusamos a nos arrepender de nossos pecados e buscarmos o perdão de Deus pelo que fizemos de errado, por que deveríamos esperar que Deus respondesse às nossas orações? Na verdade, se fazemos desta forma, estamos O tratando com desprezo, e não estamos buscando honestamente a Sua vontade enquanto oramos. A Bíblia diz: ‘Os vossos pecados encobrem o Seu rosto de vós, para que não vos ouça’. (Isaías 59:2b)”.

Sob outro ponto de vista, Graham disse que achar uma forma equilibrada de enxergar a dinâmica do relacionamento com Deus, sempre se submetendo a um autoexame para manter-se longe do erro.

“Isso significa que precisamos ser perfeitos antes que Deus responda às nossas orações? Não. Afinal, ninguém é perfeito. Mas isso significa que devemos examinar nossas vidas e ter certeza de que não estamos nos apegando aos nossos pecados, mas sim nos voltando para Jesus Cristo, buscando o perdão que precisamos”, disse.

“Você abriu seu coração e vida para Ele? Caso não o tenha feito, a sua primeira oração precisa ser pedindo a Cristo para entrar em sua vida como seu Salvador e Senhor”, acrescentou, demonstrando que mesmo com a idade avançada, não perdeu o tino para o evangelismo.

O evangelista salientou que aceitar a Jesus não é garantia de desejo realizado, pois Deus responde as orações da forma que Ele, em sua onisciência, entende que será melhor. “Será que Deus então responderá todas as suas orações exatamente do jeito que você quer? Não. Ele não vai fazer assim. Deus sabe o que é melhor para você e, em vez de ‘sim’, às vezes Sua resposta é ‘não’ ou ‘espere’. Podemos não gostar disso, porém mais tarde perceberemos que Ele estava certo e nós é que estávamos errados”.

Por fim, Graham explicou que a decisão de Deus é sempre perfeita porque Ele é eterno, e conhece o futuro: “Lembre-se: nós conseguimos ver apenas parte do quadro, mas Deus vê tudo. E porque Ele nos ama, podemos confiar que Ele sempre responderá às nossas orações de acordo com o que Ele sabe que é melhor para nós. Mesmo quando Ele diz ‘não’. As palavras da Bíblia são verdadeiras: ‘O caminho de Deus é perfeito; a palavra do Senhor é provada; é um escudo para todos os que n’Ele confiam’. (Salmo 18:30)”.

Tatá Werneck veta piadas com religião: “É preciso ter um limite”

Fazer piadas sobre religião é cada vez mais comum entre os humoristas da atualidade. Tatá Werneck parece querer trilhar um caminho diferente em seu novo programa, o talk-show Lady Night, no Multishow, que estreia no próximo dia 10.

A atriz conhecida pelo humor subversivo e sem limites, mudou de atitude na hora de entrevistar padre Fábio de Melo. Segundo informações da coluna “Sem Intervalo”, do jornal Estadão, Tatá vetou piadas com religião no Lady Night.

A equipe da atração havia sugerido uma sequência de brincadeiras, mas Tatá não autorizou: uma disputa de oração entre o convidado e outro religioso, uma batalha de rap de Salmos da Bíblia, e a instalação de um confessionário no palco.

“É preciso ter um limite. Sempre fui muito religiosa e não gosto de brincar com religião”, comentou Werneck à coluna.

A religião e o humor

O programa Na Moral da TV Globo, exibido em setembro de 2013, levou quatro humoristas para comentarem sobre os limites da piada. Participaram do programa os humoristas Bruno Mazzeo, Gregório Duvivier, Helio de La Peña e Renato Aragão.

Quando o apresentador Pedro Bial mostrou um vídeo do canal Porta dos Fundos sobre religião, o eterno Didi, de Os Trapalhões, disse ser contra fazer piadas de religião e a discussão esquentou.

“Não precisa usar a religião para fazer humor. Eu acho que até agride, coisa que agride é você criticar uma religião, muçulmana, católica, evangélica, tudo”, disse Renato Aragão.

Gregório Duvivier, do Porta dos Fundos, discordou e afirmou sua posição como ateu dizendo que “não existe um sagrado absoluto”. “Olha só, eu acho que é engraçado a gente desmistificar. O meu Deus não é o Deus de outras pessoas. Não existe um sagrado absoluto.”

Meta de satanás é que cristãos creiam que ele não existe, alerta evangelista Billy Graham

A sutileza nas ações do diabo deve preocupar os cristãos e mante-los alerta, para que não sejam desviados do propósito de Deus. Esse conselho foi reiterado pelo evangelista Billy Graham em um artigo recente.

De acordo com o veterano líder cristão, “o principal objetivo de satanás é impedir os planos de Deus de todas as maneiras possíveis”. O assunto foi abordado quando um leitor do site da Associação Evangelística Billy Graham o questionou sobre o motivo de as igrejas não falarem mais sobre o inimigo.

“Sejam sóbrios e vigiem. O diabo, o inimigo de vocês, anda ao redor como leão, rugindo e procurando a quem possa devorar”, afirmou Graham, parafraseando I Pedro 5: 8. “Embora jamais devêssemos fazer do diabo o foco de nossa atenção (pois só Cristo é digno dessa honra), precisamos estar atentos a seus planos e protegidos contra seus ataques”, frisou.

O experiente evangelista também afirmou que, às vezes, os ataques de satanás são evidentes e espalhafatosos, mas na maioria das vezes, ele atua de maneira sutil e oculta, com o intento de afastar as pessoas de Jesus. “Quando o Diabo mente, fala a sua própria língua, pois é mentiroso e pai da mentira (João 8:44)”.

“Se você achar que o Diabo não existe, logo baixará a guarda e deixará de se precaver contra seus ataques”, aconselhou, acrescentando que as ciladas se tornam mais efetivas nessas situações.

Existe, sim.

A menção de Graham ao descrédito que as pessoas têm em relação a satanás é porque muitos cristãos contemporâneos não levam a sério as palavras bíblicas a respeito do mundo espiritual, e chegam ao ponto de não crer na existência de satanás.

Uma pesquisa do Instituto Gallup realizada em 2016 mostrou que somente 61% dos americanos acreditam que satanás é um ser real. No Brasil, o estudo sobre o tema mais recente foi realizado pelo Datafolha, há dez anos, e 75% dos entrevistados criam na existência do anjo caído.

Líderes cristãos se mobilizam para aconselhar pais sobre como reagir ao jogo da Baleia Azul

A nova fonte de preocupação para pais com filhos adolescentes chama-se Desafio da Baleia Azul. O jogo, que conduz os participantes ao suicídio, tornou-se febre entre adolescentes e ligou a luz de alerta em líderes cristãos.

O pastor Renato Vargens, escritor, blogueiro e líder da Igreja Cristã da Aliança, publicou um artigo sobre o assunto e chamou a atenção para a responsabilidade dos pais nos relacionamentos de seus filhos adolescentes, e o que fazem nas horas vagas.

Vargens observa que “no jogo há desde tarefas simples, como desenhar uma baleia num papel, até outras muito mais mórbidas, como cortar os lábios, furar a palma da mão ou desenhar no braço com uma lâmina uma baleia”, e acrescenta que “o desafio mais macabro deste maldito jogo é sempre o mesmo: suicídio”.

“Apesar de não generalizar, sou tomado pela convicção que boa parte dos adolescentes que aceitam participar do jogo da baleia azul, o fazem por se sentirem deprimidos, o que em parte se deve a ausência de pais e mães”, explicou Vargens, que destacou a dedicação dos pais ao trabalho como um fator de ausência na vida dos filhos.

Quantos adolescentes que mesmo vivendo com seus pais, não recebem por parte destes atenção carinho, amor e disciplina? Eu particularmente tenho visto inúmeros adolescentes deprimidos, angustiados, sem ânimo algum pelo fato inequívoco de terem sido abandonados em vida por seus pais”, lamentou.

Para contribuir de forma efetiva na resolução do problema, o pastor elaborou uma lista de conselhos para que, através do relacionamento, pais de adolescentes possam prevenir que seus filhos fiquem expostos às insanidades do mundo contemporâneo. Confira:

Ame seu filho e lembre-se que amor se mostra através de atitudes;
Dedique tempo ao seu filho. Seja presente, priorize ele, vá ao cinema, ao estádio de futebol, a um parque e gaste tempo em comunhão e relacionamento pessoal;
Seja o melhor amigo de seu filho;
Se perceber que ele está se isolando dos amigos, da família, com um comportamento marcado pela tristeza, tente conversar com ele e se necessário for procure ajuda profissional;
Procure ver com quem ele está se relacionando na escola, na internet ou em outro ciclo de relacionamento qualquer;
Ore com e por ele.

Demônio diz na Universal que tirou a Record da TV paga para o povo assistir novelas da Globo

A Record TV, o SBT e a RedeTV! estão em pé de guerra com as operadoras de televisão por assinatura, por discordarem dos valores repassados a elas em troca da programação. Como não houve acordo, as três emissoras deixaram de fazer parte da grade. No entanto, segundo o diabo, essa seria uma estratégia dele para levar as pessoas à Globo.

Um áudio de uma “entrevista” de um pastor da Igreja Universal do Reino de Deus com um demônio durante uma das reuniões da denominação foi publicado recentemente pelo jornalista Daniel Castro, com o que seria uma conspiração diabólica para derrubar a audiência das novelas bíblicas da Record.

“Esses canais de TV por assinatura, Sky, Claro HDTV, Net, eles não querem pagar a Record, o SBT e a RedeTV!. Aí, todo mundo fica pensando que é coisa normal […] Quantas pessoas se entregaram a Jesus depois do filme Os Dez Mandamentos? Quantas pessoas voltaram para a igreja depois das novelas bíblicas que estão passando na Record?”, diz o pastor, questionando os fiéis.

As três emissoras do imbróglio fundaram uma joint venture, empresa criada com o propósito de cumprir uma função específica, chamada Simba, para forçar as operadoras de TV por assinatura a pagarem valores maiores pelo sinal das três, assim como negociar contratos de propaganda mais vantajosos, e fazer frente à Globo.

Mas, na Universal, a questão comercial ganhou ares de estratégia diabólica para espantar o público da mensagem presente nas novelas bíblicas da Record, como O Rico e Lázaro, atualmente no ar, e levar a audiência para a TV Globo, que exibe novelas permeadas de homossexualidade, violência, promiscuidade sexual e ganância.

No culto, o pastor interroga o espírito que estaria possuindo o corpo de um frequentador e, a certa altura, o demônio “entrega” o propósito do plano que retirou a emissora do bispo Edir Macedo do ar nas operadoras por assinatura: “Muitos vão pra Globo, muitos vão pra novela da Globo, ahahahaha”, diz o espírito maligno.

Ouça:

Pastor Paulo Junior critica influência da sociedade nas igrejas: “Está cheio de evangélico meio boiolinha”

O pastor Paulo Junior vem alcançando notoriedade entre os evangélicos por suas posturas contundentes e declarações chamativas. E mais uma vez, o líder da igreja Aliança do Calvário atraiu atenção ao dizer que os homens evangélicos precisam se portar como machos.

O sermão do pastor abordou a influência da cultura secular entre os homens cristãos, e sem meias palavras, afirmou que está cheio de evangélico “meio boiolinha” nas igrejas, algo que, segundo ele, é resultado direto da ação do diabo.

“Eu quero dizer uma coisa para vocês, jovens: está tendo uma deficiência mundial, principalmente nacional, de homens. Essa geração não produz homens. Essa cultura, esse governo, está desmasculinizando os homens, está efeminando os homens. Veja a cultura, a moda. Como os homens têm se vestido? Como moças, como gays”, afirmou o pastor.

“Jovem, […] você precisa ter porte varonil. Essa sociedade está efeminando os homens. Está tirando a voz ativa dos homens, fazendo-os ser diminuídos. Deus fez macho e fêmea. Fez o homem para ter macheza – não estou dizendo machismo -, virilidade, robustez, liderança. Os homens estão perdendo a voz ativa na sociedade, na família”, acrescentou.

Paulo Junior destacou que é preciso orientar os jovens cristãos do sexo masculino a cumprirem esse papel, e exigir que eles compreendam que tudo fora desse contexto não é a vontade de Deus.

“Os homens estão se vestindo como mulheres, estão falando como mulheres… A explosão do homossexualismo… É um país, uma geração, que promove o homossexualismo. E Deus está dizendo para vocês: ‘Virem homens, se vistam como homens, se portem como homens, falem como homens’”, alertou.

A cultura, novamente, foi destacada pelo pastor, como o veículo que impõe as influências sociais aos jovens cristãos, e frisou que a forma como os homens têm se vestido, mesmo dentro das igrejas, é efeminada.

+ Paulo Junior e Silas Malafaia trocam farpas após acusações mútuas nas redes sociais

“O vetor que guia vocês não é a ciência, não são as artes, não é o cinema, não é a cultura. A cultura é caída. Quem faz a roupa que você está vestindo aí são gays, lésbicas, homossexuais, ocultistas, ateus. E eles, os estilistas, fazem a moda para efeminar você. Calça apertadinha na canela com o cofrinho de fora. Coisa do diabo”, disparou.

Ateu, historiador alega que Jesus não existiu e diz ter 10 pontos que provam que Ele foi um mito

Às vésperas do feriado da Páscoa, o mais significativo para a cristandade, foi lançado no Brasil o livro de um escritor ateu, apóstata do Evangelho, que alega que Jesus Cristo nunca existiu e que a Bíblia mostra pistas disso.

David Fitzgerald, historiador e ativista ateu, é um norte-americano que foi cristão protestante mas perdeu a fé, e usou teorias de supostas contradições nos Evangelhos de Mateus, Marcos Lucas e João para criar uma lista de “mitos”.

O livro Nailed: Dez Mitos Cristãos Que Mostram Que Jesus Nunca Sequer Existiu foi lançado em formato e-book. O termo “nailed” é uma expressão em inglês que, na interpretação literal, significa “pregado”, mas é comumente usado como uma expressão para enigmas ou problemas solucionados.

De acordo com informações do jornal Folha de S. Paulo, Fitzgerald ignora o consenso entre os estudiosos atuais quando argumenta que nenhum historiador da época de Jesus obteve informações independentes sobre ele.

A explicação que se dá – e que o ateu desconsidera no livro – é que, no início, o cristianismo não tinha volume social que motivasse um historiador tradicional a documentá-lo.

Outro ponto que os pesquisadores modernos concordam é que as poucas menções a Cristo em textos não cristãos teriam sido forjadas ou derivadas dos próprios seguidores do cristianismo, o que colocaria sua confiabilidade em suspeita grave. E Fitzgerald também ignora isso para criar sua lista.

Flávio Josefo, considerado o mais importante historiador contemporâneo a Jesus, nascido em 37 d. C. e morto 43 anos depois, era judeu e deixou obras com duas citações a Jesus. Uma delas, mais abrangente, sofreu adulterações por copistas (espécie de bibliotecários que produziam cópias manuais dos textos).

As adulterações do trabalho de Josefo tinham como objetivo dar a entender que o historiador judeu via Jesus como o Messias, mas a maioria dos historiadores salienta que, por trás da passagem alterada, é possível restaurar uma versão original que também falava de Jesus.

No entanto, Fitzgerald alega que essa obra de Josefo não existiu e que seria completamente fictícia, inventada. Sobre a primeira, e menor, referência do historiador, ele sugere que os copistas cristãos também teriam inventado o trecho em que se fala de Tiago, “irmão de Jesus, chamado Cristo”.

Paulo

Em outro ponto, o escritor ateu diz que o relativo silêncio do apóstolo dos gentios, Paulo, em relação a Jesus em suas cartas escritas entre os anos 40 e 60 do primeiro século, é algo que seria prova da não existência de Jesus.

Em suas cartas, Paulo menciona pouquíssimas vezes a vida de Jesus e seus ensinamentos, e para Fitzgerald, essa é uma indicação de que o Cristo no qual ele cria seria uma figura cósmica, celestial, e que sua convicção havia surgido de sua experiência mística a caminho de Damasco e do estudo da Torá.

Sobre a afirmação de Paulo sobre o Jesus “nascido de mulher [e da] estirpe de Davi segundo a carne”, o escritor ateu lança uma tese conspiratória que se baseia em especulações.

“Por que Paulo precisa mencionar isso, afinal? Você só precisa dar esse tipo de detalhe se estiver falando de um semideus. Além do mais, nesses dois casos, ele usa a palavra grega ‘guenômenos’, que não quer dizer ‘nascido’, mas algo como ‘feito’. Em suas cartas, Paulo nunca usa essa palavra para se referir a um nascimento humano normal. O uso desse termo incomodou tanto os antigos cristãos que há manuscritos nos quais ele foi trocado pela palavra que normalmente significa ‘nascido’”, argumenta.

Constrangimento

No estudo da história há um critério chamado “constrangimento”, que propõe que ninguém em sã consciência inventaria informações potencialmente constrangedoras sobre a origem e trajetória de uma figura admirada. Quando há referências ou informações que se encaixam nesse perfil, os estudiosos consideram razoável admitir que aquilo realmente aconteceu.

Nesse contexto, há fatos “constrangedores” sobre Jesus, como seu nascimento em Nazaré, uma cidade insignificante à época; seu batismo por João Batista, alguém visto com reservas pela sociedade; e sua morte na cruz, uma punição que era reservada a criminosos e subversivos sem prestígio social nenhum. No critério do “constrangimento”, os historiadores acreditam que tais fatos são reais.

O ateu Fitzgerald, novamente, vai contra o consenso entre os maiores especialistas e afirma que tais dados foram sim inventados no Evangelho de Marcos.

“Ao contrário de nós, Marcos claramente não se sentia constrangido em relação aos elementos de sua história. Tal como Paulo, ele achou todos os elementos de que precisava nas Escrituras hebraicas, e partir deles criou a alegoria do homem fiel que foi adotado por Deus em seu batismo e foi ressuscitado e exaltado por Deus por sua obediência”, conclui.

“Se Jesus conseguiu restaurar Pedro, também pode restaurar você”, diz pastor

“O discípulo corajoso que tinha prometido a Jesus que o seguiria em qualquer lugar se transformou em um covarde”. A afirmação feita pelo pastor e escritor J. Lee Grady em uma de seus artigos recentes se refere a Pedro, que acabou negando a Jesus quando se viu de alguma forma “em apuros” por ser um dos seguidores do Messias.

Em uma reflexão de Páscoa publicada pelo site ‘Charisma News’, Lee Grady expôs como o poder e a soberania de Deus se manifestaram através de Jesus na restauração de Pedro.

“Uma das partes mais tristes da história da Páscoa ocorreu na noite em que Jesus foi preso. Seu discípulo Pedro estava estressado até o ponto de ruptura e temeroso da multidão. Quando a criada do sumo sacerdote o acusou de ser um discípulo de Jesus, o seguidor negou-O”, contou.

“Quando a menina repetiu sua acusação a alguns espectadores, ele negou conhecer Jesus novamente. Quando outros o interrogaram, a Bíblia diz que Pedro ‘começou a invocar uma maldição sobre si mesmo e a jurar: Eu não conheço este homem de quem você fala’ (Marcos 14:71). O discípulo corajoso que tinha prometido a Jesus que o seguiria em qualquer lugar se transformou em um covarde. Ele cedeu sob a pressão”, acrescentou.

Lee Grady conta que a restauração completa de Pedro está relatada no Evangelho segundo João e comenta a possível reação de Pedro ao reencontrar seu mestre, ressurreto e pronto a perdoá-lo.

“Este poderia ter sido o fim para Pedro. Ele chorou amargamente e desapareceu. Nada mais é dito sobre ele nos Evangelhos de Mateus e Marcos. Lucas diz que Pedro foi ao sepulcro de Jesus e o encontrou vazio. João é o único Evangelho que explica como Pedro encontrou restauração completa após seu fracasso”, explicou.

“Pedro deve ter ficado curioso quando viu o almoço completo que Jesus preparou para os discípulos na praia. Como aquilo poderia acontecer? Jesus não estava nem franzindo a testa, não estava esperando para fazer uma severa repreensão ao seu discípulo. Ele não repreendeu Pedro nem se lembrou de sua negação covarde na noita da crucificação”, acrescentou. “Este incrível Salvador simplesmente convidou Pedro para sentar com ele e comer. Jesus queria estar com seu amigo”.

Caso Marco Feliciano: Saiba tudo que a Globo não mostrou

Patrícia Lélis, a estudante de jornalismo que ficou conhecida no Brasil inteiro, depois de ter acusado o pastor e deputado federal Marco Feliciano (PSC-SP), de assédio e tentativa de estupro, se tornou ré no processo em que é acusada de extorquir um certa quantia em dinheiro do assessor do pastor Marco Feliciano, Talma de Oliveira Bauer.

O ministério Público (MP) acusou Patrícia Lélis do crime de denunciação caluniosa e de extorsão contra Bauer.
A justiça de São Paulo aceitou a denúncia e marcou  o interrogatório da jornalista para o mês de Maio.
Leia:Deputado Marco Feliciano renuncia liderança do PSC na Câmara
A 1ª Promotoria Criminal acredita que, Patrícia Lélis mentiu para a Polícia Civil quando disse que foi sequestrada por Bauer e  mantida em cárcere privado num hotel em São Paulo.
Na ocasião, o assessor de Marco Feliciano chegou a ser preso.

Patrícia Lélis também foi acusada de cobrar dinheiro para gravar vídeos negando a acusação de que teria sofrido assédio sexual de Feliciano.
Para evitar que Lélis fizesse a acusação, Bauer teria pago R$20 mil a Lélis.
Leia: Pastor da Assembleia de Deus de Matinhos-PR é acusado de assédio
A estudante de jornalismo acusou Marco Feliciano de tentativa de estupro.
O crime teria acontecido no apartamento dele em Brasilia, no mês de junho do ano passado.
Por ser parlamentar e ter foro privilegiado, o caso passou a ser investigado pela polícia do Distrito Federal.

Patrícia Lélis já havia sido indiciada pela polícia civil, em setembro de 2016, pedindo inclusive a sua prisão preventiva.

À época, a Justiça e o MP não concordaram com a prisão dela.
A defesa da jovem pediu a anulação do inquérito policial, mas tanto a justiça quanto o MP, negaram.

Já em 2017, vazaram áudios de Patrícia Lélis, alegando ter contato direto com o ex-ministro do Supremo Joaquim Barbosa, a ministra Carmen Lúcia e o ex- ministro Eduardo Fachin.

 

Professora muçulmana que suspendeu aluno cristão perde processo contra ele na Justiça

Um aluno cristão que foi suspenso da faculdade por discordar de sua professora muçulmana em relação à crucificação de Jesus foi processado pela mesma, mas terminou livre da ação porque a Justiça ficou do seu lado.

O atrito entre o aluno cristão Marshall Polston e a professora muçulmana Areej Zufari começou quando a docente da universidade Rollins College, na Flórida, afirmou em sala de aula que não haviam indícios históricos da crucificação de Jesus, e que os discípulos não o consideravam o Filho de Deus.