Presidente muçulmano promete reconstruir a maior igreja do Egito

Presidente muçulmano promete reconstruir a maior igreja do Egito
Dê sua nota:

O presidente egípcio Abdel Fattah al-Sisi prometeu reconstruir a maior igreja do Egito. Após um anúncio público, ele explicou que destinará um fundo de 100.000 libras egípcias [R$ 16 mil] para o projeto, que irá incluir a reconstrução do templo onde ocorreu o atentado no final do ano passado.

Sisi estava ao lado do Patriarca Tawadros II – líder da igreja copta – na Catedral Ortodoxa Copta do Cairo, quando reiterou seu compromisso de reconstruir igrejas destruídas ou danificadas por radicais islâmicos.

Trata-se de uma promessa antiga, uma vez que já havia falado sobre reconstruir os templos cristãos vandalizados durante os motins de 2013. Quando o ex-presidente Mohammed Morsi, ligado à Irmandade Muçulmana, foi deposto, muitos extremistas culparam os cristãos.

A postura de al-Sisi é um alívio para os cristãos egípcios que vem enfrentando uma onda de violência e perseguição desde o fim da chamada Primavera Árabe, em 2011. Diversos ataques ocorreram desde então, mas o que obteve mais repercussão foi a decapitação de 21 cristãos coptas pelo Estado Islâmico, em fevereiro de 2015.

O Egito tem uma população estimada em 9 milhões de cristãos. A grande maioria são os ortodoxos coptas. Após um homem-bomba ter matado 27 pessoas em um atentado na capela adjacente à maior igreja do país, o patriarca Tawadros II chamou o ataque “não apenas um desastre para a igreja, mas um desastre para toda a nação”.

Comentários no Facebook