Tatá Werneck veta piadas com religião: “É preciso ter um limite”

Dê sua nota:

Fazer piadas sobre religião é cada vez mais comum entre os humoristas da atualidade. Tatá Werneck parece querer trilhar um caminho diferente em seu novo programa, o talk-show Lady Night, no Multishow, que estreia no próximo dia 10.

A atriz conhecida pelo humor subversivo e sem limites, mudou de atitude na hora de entrevistar padre Fábio de Melo. Segundo informações da coluna “Sem Intervalo”, do jornal Estadão, Tatá vetou piadas com religião no Lady Night.

A equipe da atração havia sugerido uma sequência de brincadeiras, mas Tatá não autorizou: uma disputa de oração entre o convidado e outro religioso, uma batalha de rap de Salmos da Bíblia, e a instalação de um confessionário no palco.

“É preciso ter um limite. Sempre fui muito religiosa e não gosto de brincar com religião”, comentou Werneck à coluna.

A religião e o humor

O programa Na Moral da TV Globo, exibido em setembro de 2013, levou quatro humoristas para comentarem sobre os limites da piada. Participaram do programa os humoristas Bruno Mazzeo, Gregório Duvivier, Helio de La Peña e Renato Aragão.

Quando o apresentador Pedro Bial mostrou um vídeo do canal Porta dos Fundos sobre religião, o eterno Didi, de Os Trapalhões, disse ser contra fazer piadas de religião e a discussão esquentou.

“Não precisa usar a religião para fazer humor. Eu acho que até agride, coisa que agride é você criticar uma religião, muçulmana, católica, evangélica, tudo”, disse Renato Aragão.

Gregório Duvivier, do Porta dos Fundos, discordou e afirmou sua posição como ateu dizendo que “não existe um sagrado absoluto”. “Olha só, eu acho que é engraçado a gente desmistificar. O meu Deus não é o Deus de outras pessoas. Não existe um sagrado absoluto.”

Comentários no Facebook